Como criar um rastreador de links dedicado com o bit.ly

Tempo de leitura: 8 minutos

Você já teve a sensação de estar desperdiçando tempo com métodos de divulgação ineficientes? Será que divulgação com classificados grátis funciona? E PPS Marketing? Quantas pessoas clicam nos links que ficam abaixo de sua assinatura de e-mail? Será que vale a pena despender tempo divulgando sites, blogs e programas de afiliados por meio dessas técnicas de publicidade?

Só há uma maneira de saber: medindo! Para responder às questões acima, precisamos contabilizar o tráfego que se origina dessas fontes e analisá-los para decidirmos se o fluxo de visitantes é aceitável e se nossa estratégia com essas ferramentas de divulgação está correta. O Google Analytics é uma mão na roda, porém somente rastreia visitas em sites e blogs onde seu código é inserido, o que não é viável em páginas de classificados, em arquivos PPS e nos links de e-mails.

 

 

Existe uma ferramenta bastante simples e que é capaz de realizar esse link tracking (rastreamento de links): o encurtador de URLs bit.ly.

 

 

Se você ainda não conhece o bit.ly ou não sabe como utilizá-lo, acesse nosso artigo sobre os usos e as funcionalidades do bit.ly.

 

Atualização de 03/05/2011

Bom pessoal, infelizmente o bit.ly detectou o mecanismo ensinado abaixo para a construção do rastreador dedicado e inseriu uma horrenda página de aviso no meio (veja abaixo). Ele fez isso, pois não tolera que o bit.ly aponte para endereços de outros encurtadores, tais quais o TinyURL que utilizamos. Isso inviabiliza o mecanismo do rastreador dedicado, já que as pessoas tenderão a não prosseguir para o endereço do TinyURL por causa dessa mensagem. A consequência disso é que volta o problema do rastreador compartilhado apontado abaixo. Os valores estatísticos obtidos com o rastreamento com links do bit.ly continuam valendo somente quando um único link curto apontar para uma única página de URL de destino.

 

bit.ly não tolera outros encurtadores

 

Que tipo de rastreamento o bit.ly executa?

Todos os cliques em links do bit.ly são computados instantaneamente. Os dados dos contadores são apresentados em gráficos de tempo, gráficos pizza e tabelas segmentadas por sites de origens e por países.

 

 

Na figura abaixo, estão ilustradas as diferentes maneiras como o bit.ly apresenta os dados computados.

 

Como o bit.ly apresenta os dados de rastreios

 

bit.ly, além de rastrear cliques em links de sites e blogs, também computa os cliques nos links de clientes de e-mails, mensageiros instantâneos (IM), AIR Apps e de acessos diretos a partir da barra de endereços do navegador. Antes de compreendermos na prática como o bit.ly contabilizava os cliques, fizemos alguns testes com sites classificados grátis e aprendemos algumas especificidades desse encurtador de links. Em breve vamos publicar um artigo sobre estatísticas da divulgação com classificados on-line. Subscreva nosso blog para não perder as novidades e siga-nos no Twitter também.

 

Como criar o rastreador de links?

 

 

Para construir seu link tracking, primeiro você deve encurtar sua URL no bit.ly. Vamos utilizar como exemplo o link http://www.valtersousa.com/kgdo, que direciona para um sistema de afiliados de que participo (é de propósito, mesmo! 🙂 ). Se você estiver tendo dificuldades para compreender o processo, acesse nosso artigo Bit.ly: encurtar para conquistar! e reveja os conceitos básicos. Prossigamos.

Encurtando esse link, ele fica assim:

http://bit.ly/fxDZyg

O bit.ly também permite a personalização do link no momento em que ele é criado. O mesmo link acima, pode ser escrito assim:

http://bit.ly/kgdo_track_link

Você pode escolher qualquer nome personalizado para seu novo link, desde que outra pessoa ainda não o tenha escolhido. Agora o grande segredo! No bit.ly, as estatísticas dos rastreadores de links são acessadas simplesmente acrescentando o caracter “+” no final do link curto. Veja:

http://bit.ly/fxDZyg+

http://bit.ly/kgdo_track_link+

Clique e compare. Quando o link está sem o “+”, ele encaminha o internauta para a URL original. Quando o link está com o “+”, ele mostra as estatísticas de cliques. Simples, não?

 

Compreendendo as estatísticas

Observe a figura abaixo, constante da página de estatísticas no bit.ly. O número de cima indica a quantidade de cliques realizados no link curto que você criou para determinada URL. O número de baixo indica a quantidade total de cliques realizados em todos os links curtos criados por todos os usuários do bit.ly para essa mesma URL.

 

 

No lado direito da página de estatísticas, existe um drop-down onde você pode escolher o período de tempo da coleta dos dados (Past hour = última hora ou Total).

 

 

Veja:

 

 

 

Na visualização em forma de tabela, é possível expandir os dados e saber especificamente quantos cliques foram realizados em cada uma das páginas do domínio onde o link foi divulgado. Veja abaixo (em vermelho):

 

 

 

Esse tipo de análise é útil quando você deseja, por exemplo, testar diferentes redações de anúncios no mesmo site de classificados grátis e descobrir qual dessas redações é a mais eficiente. É o caso mostrado na figura acima.

 

 

O problema do rastreador compartilhado

Na figura abaixo, observamos dois problemas. Primeiro, para um mesmo link curto, as estatísticas do bit.ly agregam em uma única soma todos os cliques advindos dos e-mails, aplicativos de mensagens instantâneas, acessos diretos, slides do PowerPoint e similares. Isso é o que chamamos de rastreador compartilhado. Ele é um problema já que nos impede de saber a quantidade específica de tráfego vindo de cada uma dessas fontes, caso em que você precisaria de um rastreador dedicado (veja mais abaixo como fazer isso). Segundo, alguns sites de classificados (onde divulgamos o mesmo link curto em diferentes anúncios) não especificam as páginas de onde os cliques se originaram, como o AnuncieWeb na figura abaixo. Isso ocorre devido ao formato dos endereços de URLs do site de classificados, por exemplo http://anuncieweb.com.br/?p=nnnnn.

 

 

 

Você poderia achar que a solução seria criar vários links curtos para a mesma URL e distribuí-los pelos métodos de divulgação elencados acima, obtendo assim estatísticas separadas para cada origem de cliques. Porém, se você tentar encurtar uma mesma URL várias vezes no bit.ly, ele sempre lhe devolverá o mesmo link curto. Mesmo que você crie diferentes personalizações para o mesmo link, o bit.ly vai mostrar sempre as mesmas estatísticas para eles. Clique nos links abaixo e confira o que estou dizendo. Os três links foram criados a partir da mesma URL e personalizados de três maneiras diferentes.

http://bit.ly/kgdo_track_link+

http://bit.ly/kgdo_track_link2+

http://bit.ly/kgdo_track_link3+

 

Você pode driblar essa restrição abrindo várias contas no bit.ly. No entanto, uma solução melhor se apresenta quando conjugamos o bit.ly com outro encurtador de URLs, por exemplo o TinyURL.

Criando um rastreador de link dedicado

Vamos então construir um rastreador dedicado da URL http://www.valtersousa.com/kgdo para colocar, digamos, na assinatura de e-mail. Acesse o TinyURL e crie um link curto personalizado para sua URL, por exemplo http://tinyurl.com/kgdo-ass-email.

Agora copie este link que você criou no TinyURL e encurte-o no bit.ly, personalizando-o novamente, se assim desejar.

 

 

 

Pronto! Seu rastreador de link dedicado já está ativo e em funcionamento! Veja:

http://bit.ly/kgdo-ass-email+

Agora você possui um contador de cliques que contabiliza somente os acessos que se originam de um link colocado em seus e-mails.

 

E você? Por acaso você tem o hábito de medir suas estratégias de divulgação?

Os rastreadores dedicados são tão específicos, que você pode, por exemplo, saber se um PPS de humor é mais eficiente (ou menos eficiente) do que um PPS de teste de QI. No entanto, o rastreamento de links através de encurtadores de URLs é uma estratégia para estudos estatísticos de tempo determinado. Jamais utilize links curtos para finalidades críticas onde os links devam estar ativos no decorrer dos anos. Afinal, nada garante que o bit.ly ou o TinyURL vão estar no ar para sempre. Esse conselho se estende a todos os redirecionadores de URLs. Diga-nos o que você achou desta matéria. Para você é importante medir a eficiência dos métodos de divulgação? Vale a pena o trabalho? De que forma você acha que isso pode lhe ser útil na divulgação de seu site, blog ou programa de afiliados? Conhece outra forma de realizar esse link tracking? Diga-nos nos comentários abaixo.

Importante! Em breve iremos fazer uma análise da divulgação com classificados grátis. Para não perder os artigos futuros sobre o tema, assine o blog e siga-nos no Twitter!

 


Blog Instantâneo Gustavo Freitas

19 Comentários







  1. Olá Valter Sousa!

    Excelente artigo! Com certeza usando este método dá para ter uma analise muito boa de Divulgação eficiente ou não!

    Em breve vou citar seu 2 artigos lá no Como Fazer Web, pois acho que pode ajudar em muitos blogueiros iniciantes a não perder tempo em divulgações ineficiente.

    valter, vou ter dar uma dica atualiza o Plugin Subscribe to Comments Reloaded, ele está com a opção deNotifique-me por e-mail já selecionada isto é muito bom em termos de gerar mais visitas.

    Um abraço!!

    Responder

    1. Olá, Fábio. Obrigado pelo comentário. Sou profundamente grato a você por ajudar na divulgação dos artigos. Espero poder retribuir em breve.

      Dica de ouro essa do plugin Subscribe to Comments Reloaded! Valeu mesmo! Vou espalhar lá no Twitter.

      Responder

    2. Olá, Fábio. Infelizmente o bit.ly inseriu um dispositivo que anulou o rastreador dedicado. Fiz uma atualização no artigo. Confira.

      Responder




  2. Olá Valter Sousa!

    Por acaso você sabe informar porque no Bitly mostra uma quantidade de acessos e o Analytics mostra outra, muito menor?

    Grande abraço!

    Responder

    1. Olá, Cristiano. Obrigado pelo comentário. O Google Analytics computa tráfego advindo de quatro fontes: 1) pesquisa nos buscadores, 2) links de referência em qualquer lugar da Internet, 3) acessos diretos à sua URL e 4) feeds. O Bitly computa tão-somente os cliques no links de referências (item 2) específicos dele.

      Responder



Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *