A verdade sobre os agregadores de conteúdo e os agregadores de links

Tempo de leitura: 9 minutos

Em 11 de maio. eu publiquei o artigo 30 Agregadores de Conteúdo para Divulgar seu Blog para começar um estudo sobre agregadores e prometi retornar com as conclusões. Fiz uma rápida pesquisa para saber quais eram os mais famosos na blogosfera e enviei o artigo +30 Ferramentas para Sacudir seu Twitter para teste. Resultado? Nadica de nada! Não consegui dados suficientes para uma análise. A única conclusão a que cheguei foi a seguinte: enviar apenas um artigo para agregadores de links é trabalho perdido e não serve como base para medir a utilidade desses sites.

ueba agregadores de conteúdo agregador de links

Motivado pelo insucesso, resolvi fazer a Pesquisa de Blogueiro: Agregadores de Conteúdo e Agregadores de Links para compreender o comportamento dessa ferramenta de divulgação grátis. De posse da pesquisa, obtive excelentes esclarecimentos, os quais elenquei a seguir. Para facilitar, não vou fazer distinção entre agregadores de link e agregadores de conteúdo.

Serão realizados novos testes e prometo retornar com os resultados em breve. Para não perder os resultados, considere assinar gratuitamente o blog e seguir-nos no Twitter.

 

 

Quantos tipos de agregadores de links existem?

Os vários agregadores de links se distinguem pela maneira como são feitos os cadastros dos conteúdos e pela exigência da participação. Há agregadores onde você cadastra seu blog ou feed e os artigos vão sendo publicados automaticamente (exemplo: diHITT) ou semiautomaticamente (exemplo: Ver!). Há aqueles que pedem sua participação (através de comentários, votação e cliques) para obter melhor posicionamento e há outros onde você apenas submete seu artigo. Há os que exigem o cadastro de imagens (a maioria) e a obrigatoriedade de login e há os que não exigem. Não convém entrar em mais detalhes sobre este aspecto. Mas é bom que você saiba dessas diferenciações.

Como, quando e o quanto divulgar em agregadores?

Quase ninguém falou sobre essa questão. A sugestão é que você envie seus artigos aos agregadores assim que os publicar. Quais artigos? Todos. Publicou um novo artigo, então o envie para todos os agregadores de conteúdo de sua lista (pelo menos no começo). A quantidade na lista fica por sua conta, quanto mais agregadores para testes, melhor. Com o tempo e com os resultados obtidos, a tendência é que você diminua a quantidade de agregadores e selecione determinados tipos de artigos para submeter. Procure sempre ler as regras dos agregadores. Com exceção dos agregadores de atualização automática, nos demais o cadastramento é manual e trabalhoso. Minha dica é que você se cadastre em todos os automáticos e semiautomáticos que encontrar e exclua os agregadores de links manuais que não lhe trazem resultado algum.

 

 

As reclamações a respeito de agregadores de conteúdo

Na Pesquisa de Blogueiro: Agregadores de Conteúdo e Agregadores de Links, algumas reclamações são recorrentes. São elas.

A ALTA TAXA DE REJEIÇÃO DOS VISITANTES ORIGINÁRIOS DOS AGREGADORES DE CONTEÚDO. Isso significa que a maioria das pessoas enviadas pelos agregadores para seu blog saem por onde chegaram sem explorar outras páginas suas. Essa taxa costuma ser altíssima, ultrapassando os 90%, o que indica uma qualidade de visita péssima, a chamada gordura estatística.

taxa de rejeição aumento gráfico subindo vermelho

DIFICULDADE EM QUE OS ARTIGOS SUBMETIDOS SEJAM ACEITOS. O Uêba é o campeão de reclamações nesse quesito, embora quem consiga emplacar um artigo nele diga que realmente compensa. No outro extremo, Ocioso e LinkLog são bastante elogiados, apesar de não escaparem da primeira reclamação acima, além de serem taxados de hypes. O Ocioso é bastante indicado para blogueiros iniciantes. Na sequência dos mais fáceis de cadastrar, segue o diHITT (este acusado de formar panelinhas). O Colméia também é considerado difícil de emplacar, mas traz uma melhor qualidade de tráfego. Outros esporadicamente citados como sendo mais fáceis de aceitar artigos são: Linkes, Linkativo, Bombanet, Linkirado, Favorit.Us, Linkk, LinkTo, CataBlog. Simpatizamos com o Ver!, já citado acima. Por fim, alguém sugeriu a existência de corporativismo por parte dos agregadores de conteúdo, além da concessão de privilégios aos grandes blogs em detrimento dos pequenos.

A PREFERÊNCIA DOS AGREGADORES POR CONTEÚDO HYPE. Significa dizer que muitos agregadores preferem publicar matérias sobre temas banais, bizarros, apelativos, fofocas polêmicas e correlatos.

ESTOURO DA LARGURA DE BANDA. O blog sai do ar porque não suporta o tráfego vindo dos agregadores. O que não é uma reclamação, mas uma aviso para que você se prepare para receber os visitantes no caso de ter sucesso em emplacar seus artigos.

 

Quem está errado? Você ou os agregadores?

Os agregadores fornecem um serviço gratuito. Se você levar em consideração que está submetendo seus artigos em agregadores cujos leitores não se encaixam no público do seu blog, então os problemas elencados acima podem ser todos culpa sua. Se, por um lado, você fica irritado porque não aceitam seus artigos, por outro lado, os blogueiros hypes certamente ficam felizes, pois os deles são rapidamente emplacados. Talvez quem esteja forçando a barra seja o blogueiro que indica artigos de nichos que não se encaixam na proposta do agregador. O dono do agregador é de carne e osso e, como qualquer pessoa, deseja também que seu site vá para frente. Se a natureza do agregador é a distribuição de matéria extravagante, é salutar para o projeto que ele proteja seu conteúdo. O agregador talvez não tenha a obrigação de se adequar ao conteúdo oferecido pelo blogueiro. Porém, os agregadores de links não são todos iguais. Certamente para cada blogueiro há um ou mais agregadores que se harmonizam melhor com seu nicho.

ocioso agregador de conteúdo

Não obstante, quem mantém os agregadores somos nós (sem considerarmos o nicho). Cabe ao webmaster do agregador levar isso em consideração e determinar se haverá vantagens para ambas as partes, caso ele decida diversificar a linha de publicação do agregador. Lembre-se de que o primeiro passo para uma parceria é reconhecer que, no outro lado, há alguém exatamente como você e que deseja o sucesso e a recompensa por seus esforços.

 

 

Então, se você for submeter material em agregadores que não se coadunam com o que você oferece, prepare-se previamente para as negativas. Como sugerem os blogueiros Marcos Lemos e  Adelson Smania, o caminho é persistir e ser constante. Você é quem decide se o retorno obtido valeu o esforço. Isso é uma valoração bem pessoal.

O lado otimista dos agregadores de links

Alguns poucos blogueiros, embora não neguem a problemática discutida acima, argumentam a possibilidade de fidelização de visitantes garantida pelo poder de sedução do blog. Isso se concretizaria no aumento de novos assinantes, mesmo que sejam poucos. Além disso, as muitas visitas originadas dos agregadores, apesar de sua má qualidade, constituem exércitos transitórios de clicadores de anúncios. O que pode vir a gerar uma rápida renda suplementar. Por fim arrola-se como última vantagem a visibilidade concedida ao blog através dos agregadores de conteúdo. Agradecemos ao problogger Marcos Lemos do Ferramentas Blog pelo oportuno vídeo a seguir.

Aprofundando a discussão sobre os agregadores de conteúdo

Há uma tendência dos blogueiros em ficar ladeando as reclamações acima, em detrimento de aprofundar mais o tema e sugerir evolução para o quadro. Um caminho foi apontado, como mostro na seção a seguir. A respeito de novas proposições relativas aos agregadores, tratou-se apenas da questão da punição que o Google supostamente poderia impor ao blog pelo fato de os artigos repetirem-se nos agregadores. Penso que o receio perdeu força com as considerações de Marcos Lemos no artigo Agregadores de Conteúdo Podem Gerar Conteúdo Duplicado e Punições no Google? Completando a discussão, todos se mostraram a favor de variar os títulos dos artigos nos vários agregadores com palavras-chaves diferentes no intuito de melhorar o posicionamento dos posts nos mecanismos de busca.

Fala-se agora na tal da febre de agregadores que está tomando conta da Internet, expressa no surgimento constante de novos agregadores de conteúdo e de links . Só para constar.

 

O caminho: testar e limitar a quantidade de agregadores

Em um ponto todos concordaram: é necessário testar e restringir o uso dos agregadores de conteúdo. O tempo do blogueiro é muito precioso e ele não pode desperdiçá-lo submetendo artigos em agregadores que recorrentemente não lhe devolvem frutos. Não dá para determinar a priori quais são os agregadores bons para seu blog, É necessário testá-los. Separe aqueles que dão resultados e passe a trabalhar somente com eles. Retire os banners dos demais agregadores de sua página inicial. Estamos aqui para parcerias, não para mendigar.

 

Uma nova pesquisa do Divulgação Grátis sobre agregadores

Bem, tendo em vista que minha pesquisa estatística sobre agregadores, lançada em maio, não gerou assertos, reinicio outra agora, baseado nas considerações acima, com previsão de resultados para 30 ou 45 dias. Para não perder os resultados, assine gratuitamente o blogsiga-nos no Twitter.

 

Promoção: faça um comentário e ganhe um obrigado

Um blog vive de comentários. Suas considerações, concordando ou divergindo, são de vital importância para completar e aprofundar a discussão dos artigos. Blogueiros são simplesmente devotos da interação com seu público. Faça seu comentário e enriqueça os pontos expostos no post. Sua opinião interessa a todos. Obrigado.

30 Comentários





  1. Acabei de ver que o Ocioso modernizou o sistema deles. Fui tentar enviar um link agora e recebi uma mensagem que só é possível de segunda a quinta. Pelo jeito ficou bem mais automatizado!

    Responder

    1. Olá, Alexandre. Obrigado pelo comentário. Há alguns dias atrás o Ocioso estava sinalizando melhorias no site. Eu havia enviado um e-mail a eles para saber por que meu blog estava gerando visitas para o Ocioso e não havia a contrapartida nas estatísticas. O próprio Hémilton Lins, dono do Ocioso, respondeu informando essa atualização para o fim de maio. E é verdade, Alexandre: acabei de entrar lá e percebi alterações, especialmente na área administrativa do usuário.

      Responder


  2. Olá amigo Walter como sempre fazendo artigos excelentes parabéns.
    Irei dar meu parecer de blogueira i-marketer pois não me considero blogueira mas na minha área de atuação é inevitável ter um blog.
    Bem amigo eu particularmente no começo da minha caminhada virtual, eu costumava usar agregadores de notícia; nem todos mas alguns.O meu preferido era sempre o Dihitt, pois acho sua usabilidade super legal, e o Dihitt cresceu muito desde que começou.Os outros agregadores como Ocioso não me agradavam poisa sabia que minhas matérias não eram interessantes para adolescentes e pessoas que adoram ver um besteirol na internet. O foco deles é realmente besteirol, e eu não trabalho com esse tipo de coisa.Bem enfim sempre preferi o Dihitt e outros agregadores que não tivessem restrição para colocar artigos, pois esses agregadores tem umas chatices que me aborrecem muito por exemplo: você tem que colocar foto do tamanho certo e isso é muito chato de ficar editando.Como disse a você sempre usei mais o Dihitt mas de uns tempos para cá o Dihitt tem ficado igualzinho ao YR uma coisa absurda que acontece lá e isso posso te dizer: tem panelinha mesmo, não sei o que acontece nesse site Dihitt sabe, parece que o povo de lá disputa a tapas o primeiro lugar na lista deles de usuário top. Não sei para que pois ninguém ganha um centavo por isso.Bem gostaria de aproveitar o espaço e pedir explicações porque eles estão deletando contas sem prévio aviso, pois eu li todas as diretrizes do site deles e em momento algum está dizendo que certos artigos não podem ser postados por lá, é o caso de programa de afiliados e afins.Basta colocar isso lá que eles vão e deletam tua conta, pode ter 300 amigos que for eles deletam mesmo e depois dão uma desculpinha que não pode falar sobre programa de afiliados e coisas do nicho.Bem eu até entendo que muita gente na internet principalmente os amadores eles tem causado uma péssima impressão nas pessoas sobre o assunto de ganhar dinheiro na internet.Os spammers de plantão tem feito muito bem isso na internet e tem causado essa rejeição, quem diga o adwords que não pode nem falar sobre isso.Eu só gostaria de dizer ao Dihitt que já que eles proibem esse tipo de postagem por lá que pelo menos tenha a decência de avisar e mudar as diretrizes do site, porque eu não tenho bola de cristal e perdi minha conta que a 1 ano eu tinha.

    Responder

    1. Olá, Vivian. Obrigado pelo gentil comentário. Agregadores e blogueiros têm uma relação de amor e ódio. Mas vale a pena fazer um teste mais sério e saber o que dá certo em cada caso.

      Sobre ganhar dinheiro: quando eu me tornei afiliado do Fernando Augusto, minha grande estratégia era divulgar no Adwords. Dei com os burros n’água, pois a Google já estava cortando as asinhas dos afiliados. Mas penso que o Fernando deu um bom conselho ao sugerir que tomássemos rotas indiretas, no caso o blog. Depois, por sugestão do Dani Edson, fui parar no Yahoo Respostas. De novo dei com a cara na parede (eles são rígidos quanto ao tema ganhar dinheiro). Agora vem o diHITT. É, o cerco está se fechando. Um absurdo cancelarem sua conta assim, mas essa situação só tende a piorar com a crescente chuva de spammers e sonhadores do dinheiro fácil. Mas a dica do caminho alternativo é o que convém. Você mesma já está fazendo isso, por exemplo, ao ter os seus artigos no site Administradores publicados no diHITT. Como disse um sábio chinês: a sabedoria da água é que ela não se digladia com as pedras, mas as contorna e, assim, encontra seu caminho para o mar.

      Responder

  3. Minha experiência é positiva em relação aos agregadores, mas também senti o problema que você citou da alta rejeição, Já estou no período de começar a excluir alguns da minha lista o UEBA foi um dos primeiros, como você falou não estamos mendingando e sim buscando parcerias produtivas. Outro que deletei foi o LINk DO PINGUIN ele é altamente agressivo, um amigo meu me contou que quando acessava meu blog ficava o tempo todo abrindo janelas do LINk DO PINGUIN. Alem deste inconveniente ele me enviava poucas visitas.
    Um que gostei muito foi o OCIOSO, este divulga a maioria dos posts que envio e me manda muitas visitas, meu blog é de receitas especificamente na área de confeitaria.
    Gosto do atoa na net.
    Parabéns pelo post

    Responder

  4. Já uso agregadores há um tempo. No momento utilizo apenas três. Não recebo milhares de visitas, mas pelo menos meu site não fica sem visitas. Acho que os que estão iniciando, que possuem seu blog/site há pouco tempo deveriam usar os agregadores, eles ajudam bastante.

    No meu caso meu site ainda vai completar três meses de existência e por isso ainda não posso deixar os agregadores de lado. Mas acho que aqueles que já tem uma boa quantidade de leitores fiéis não precisam utilizar agregadores.

    Responder

    1. Olá, Renato. Obrigado pelo comentário. Realmente cadastrar URLs em agregadores não é uma das tarefas mais agradáveis. Se deles puder prescindir, bem. Particularmente ainda não bati o martelo para os agregadores e continuo sugerindo que cada uma realize seus próprios testes e trabalhe somente com aqueles que dão resultados no seu caso.

      Responder

  5. Valter,

    há menos de um mês, estou usando os agregadores na sidebar de meu blog. As visitas realmente estão aumentando paulatinamente, mas estou com receio de ser punido pelo Google com esse esquema de troca de links. Colocar banners dos agregadores dá punição no Google? Para evitar isso, coloquei “rel=”nofollow”. Você acha que Isso é suficiente para não ser punido?

    Responder

    1. Olá, Frederico. Obrigado pelo comentário. A troca de links com agregadores não causa punição pelo Google, pois não configuram esquema de black hat frente ao algoritmo do mecanismo de busca. O Google sabe distinguir um agregador de um link farm, por exemplo. A discussão na blogosfera sobre a possibilidade de agregadores causarem punição restringe-se ao conteúdo duplicado (isto é, o conteúdo que está no blog é o mesmo conteúdo que está nos agregadores). Apenas recomendo que, quando você for cadastrar seus artigos nos agregadores, escreve títulos e descrições diferentes da que você utilizou no blog.

      Responder

      1. Com relação a fazer títulos diferentes para não haver duplicações, isso não é possível com agregadores por feeds, não é mesmo? Assim, tudo o que publico aparece idêntico no Dihitt e inclusive, aparece primeiro lá (nas buscas) . Posso ter problemas?

        Responder

        1. Olá, Renata. Difícil dizer. Aconselho que você faça testes com seus artigos nas buscas do Google e tire suas próprias conclusões. Você deve ter em mente não o título do artigo, mas as palavras-chaves que as pessoas buscarão.

          O Marcos Lemos fala sobre o tema num artigo dele cujo link eu coloquei no texto acima. Vale a pena dar uma lida.

          Responder

  6. Muito bom seu blog!Excelente blog! Só a título de curiosidade há um agregador de conteúdos chamado Agrega Pais, que é voltado para pais e mães (mas é tão versátil que acaba tendo audiência da família toda, pois, vai dos blogs de mães até blogs geeks ou sobre mma) uma ótima forma de divulgar seu blog para um público bem específico no geral e que está adentrando a internet e uma ótima forma de virar referência para este público que inclusive conta com muitos blogueiros. E no mais parabéns.
    Julio

    Responder

    1. Olá, Júlio. Obrigado pelo comentário. Elogios como o seu são sempre muito bem vindo. Fica aí a dica do Agrega Pais ). Obrigado.

      Responder

  7. Concordo que em determinados agregadores a enorme quantidade de visitas enviadas por eles é de baixa qualidade, ve-se isso pelos tempos de atividade e numero de páginas lidas enviadas por eles, mas há agregadores que vale a pena o cadastro e que nos dão uma boa média, com qualidde de visitas. Creio que cada blogueiro deve testar, analisar e definir quais dos agregadores se definem melhor para ele. Já testei centenas de agregadores e cada um novo que aparece, testo com bastante atenção e por um tempo razoável, levo em consideração as médias de número de visitas, tempo de permanência no blog, numero de páginas acessadas em relação ao número de visitas, taxa de rejeições, páginas de entrada e os conteúdos. Não há outra maneira, como diz o artigo, não dá para perder tempo.

    Responder

  8. Óima matéria, e gostei muito desse vídeo motivacional… Bom trabalho a todos…

    Responder

  9. eu no inicio mandava meus links para todos os agregadores possiveis , e notei que alguns não valiam meu esforço , como mencionado acima , outros apesar de serem bons eu vi que so se interessavam por conteudo apelativo ou de curiosidades , vivendo e aprendendo agora eu espero um post dar efeito e depois os envio somente em 2 ou 3 agregadores que realmente me trazem algo , cansei de perder tempo e o tempo também me diz o que meus leitores gostam de ler

    Responder

  10. Boas dicas e vi que estou no caminho certo! Já estava planilhando os posts que vão pro ar e quais matérias vão para a capa do agregador, fazendo depois uma análise com google analytics (já estou no 7º dia de levantamento de dados). Com isso pretendo descobrir qual agregador vale a pena utilizar. Talvez possa contribuir com sua pesquisa, caso queira.
    Obrigada pelas dicas e lógico, deixo o convite para conhecer meu site.
    Ju.

    Responder

  11. O que mais que incomoda nos agregadores é que aumentam demais a taxa de rejeição, como citado no artigo. Parabéns pelo artigo, muito bom…

    Responder

    1. Olá, Luciene. Obrigado pelo comentário. Agregadores hoje em dia não são a melhor opção de divulgação grátis. Foque mais em SEO, comentários em blogs, Youtube e Facebook no início. Quando puder, comece a trabalhar com o Google Adwords.

      Responder

  12. Otimo conteúdo , particularmente não gosto dos agregadores de conteúdo , acho que não compensa o tempo perdido, pois os que poderiam trazer mais trafego para seu blog são um saco para aprovar um link.

    Responder

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *