Pesquisa de Blogueiro: Agregadores de Conteúdo e Agregadores de Links

Tempo de leitura: 11 minutos

Antes de adentrarmos o tema “agregadores de conteúdo“, é necessário fazer algumas considerações sobre o feitio do presente artigo. Hoje estou lançando um novo formato de artigo que pretendo utilizar bastante daqui para frente, caso meu público e a blogosfera o aprove. Trata-se dos artigos de pesquisa. Todo bom blogueiro sabe da importância capital da pesquisa na produção de conteúdo relevante e de qualidade. A pesquisa por determinados assuntos possibilita a compreensão de maneira profunda da situação do objeto de estudo e traz vários benefícios, que irei arrolar em um artigo justificando por que decidi disponibilizar o material bruto das pesquisas.

pesquisa blogueiro mão lápis sherlock holmes estatísticas gráficos gráfico colorido agregadores conteúdo links

A estrutura de texto desse tipo de artigo certamente não vai interessar a todos, mas àqueles que desejam se aprofundar no objeto da pesquisa e que visam a obter uma percepção mais completa e atual do que está acontecendo na blogosfera sobre o tema em questão. A leitura pode ser maçante para os curiosos, devido ao seu aspecto de relatório e à sua extensão por vezes longa.

 

 

O conteúdo do Divulgação Grátis é direcionado para um público que busca aprender a ganhar dinheiro na Internet e a divulgar de forma racional. Se se quiser ser bom nesses dois assuntos é necessário ir fundo no trabalho e afastar as incertezas de maneira incisiva, pois os dois nichos exigem análises e resultados. Cada artigo de pesquisa vai gerar um artigo, ou vários artigos, como uma escrita mais leve.

Começo com o tema agregadores de conteúdo e agregadores de links, pois foi justamente a falta de resultados com esse modo de divulgação que me levou a partir para a pesquisa séria. Em 11 de maio publiquei o artigo 30 Agregadores de Conteúdo para Divulgar seu Blog e prometi uma análise dentro de 30 dias. Ela começa por aqui e continua em próximo artigo. As sinopses estão dispostas em ordem cronológica.

Por favor, deixe comentários para sabermos qual sua opinião sobre esse tipo de artigo. Não se esqueça de assinar nosso feed e seguir-nos no Twitter.

 

Artigos e sinopses sobre agregadores de links e agregadores de conteúdo

07/2008 – Isaias Malta, em “O que é hype e porque os blogueiros se matam por ele? (artigo excluído) explica o conceito de “hype“, bastante importante para compreendermos porque muitos de nossos artigos não emplacam nos agregadores. O termo “hype” é contração de “hyperbole” (“hipérbole” em português) e denota a figura de linguagem que aumenta ou diminui de forma exagerada as verdades das coisas, por exemplo, “chorei rios de lágrimas”, “eu comeria um elefante”. A relação desse termo com os agregadores diz respeito ao fato de que estes tendem a divulgar materiais que exageram notícias ocasionais, bizarrices e artigos apelativos.

03/2009 Paulo Faustino, em “20 agregadores de conteúdo Digg-like” (artigo excluído). Os agregadores são considerados minas de tráfego. São suficientes 5 a 10 minutos de trabalho, a não ser que se  queira interagir seriamente. Comentários de agradecimento.

04/2009 – Rodrigo Marassi, em Teste DT: Os Melhores Agregadores de Links, um post de 2009, classifica os 10 melhores agregadores de links. Ele percebeu melhoras em seu blog através do aumento das visitas, novas assinaturas e mais comentários. Nos comentários, o UEBA foi massacrado pelos comentadores (inclusive em comentários mais recentes), que o consideram, entre outras reclamações, de dificílimo emplacamento de posts e ter características de agregador de hypes.

Chamou a atenção o comentário de Georgia Maria, do Sexo e Relacionamentos (hype?), que divergiu dos demais, além de outro autor de blog hype. O Ocioso, por outro lado, foi consagrado do começo até o fim dos comentários, tendo registrado picos de visitas em torno de milhares. Falaram muito bem do LinkLog e levantaram a bola do BombaNet. A questão do aumento da taxa de rejeição é novamente levantada por um dos comentadores. Antônio Eriveudo, do HiperNovas (essas tirinhas são viciantes mesmo!) indica o Linkes, o Linkativo e Favorit.us como de fácil emplacamento. Em outro post, que por acaso acessei no blog do Marassi, ele indicou o Ver!, um agregador interessante.

02/2010 – João Monteiro, em A Verdade Sobre Agregadores de Links, desce a lenha nos agregadores. Embora lhe tragam tráfego em quantidade, a qualidade não é lá essas coisas, já que os visitantes entram no blog, pegam a informação e saem de imediato. Monteiro sinalizou deixar os agregadores de lado, em favor de trabalhar mais com SEO. Nos comentários, Carlos Alberto, do Inconstitucionalissimamente Atento, compara o tempo de permanência de visitantes oriundos dos agregadores (30 segudos) com visitantes oriundos das buscas (1min50s). Aponta ainda uma taxa de rejeição de até 98% de visitas dos agregadores. Para Carlos Alberto, a demora dos agregadores emplacar os artigos chega a configurar corporativismo. Por fim, ele opta pela qualidade das visitas de buscadores à quantidade das visitas dos agregadores. Há quem discorde e ache que vale a pena fazer um trabalho semanal com agregadores, visando especificamente a aumentar a quantidade de assinantes do feed.

03/2010 – Marcos Lemos em Divulgar posts do blog em agregadores de conteúdo. Para iniciantes com conteúdos originais é excelente. Deve-se criar o hábito desde o início em cadastrar os artigos nos agregadores. Enviar à medida que for publicando. Alguns agregam e classificam por votos, cliques e opinião.  Pode render de centenas a milhares de cliques em um único dia, se bem posicionados. Recomenda diHITT, Ueba, Rec6, Linkk, LinkLog, Colmeia, Ocioso. Nos comentários, afirmou-se que, quando o link é aceito no agregador, a taxa de rejeição tende a aumentar, enquanto páginas visitadas tendem a diminuir. Fernanda Ferreira, por exemplo, disse que recebeu vários convites de amizade no DiHitt. Subtil disse que é melhor variar o título nos vários agregadores para evitar disputa de juice consigo mesmo. Felipeganha indicou o LinkTo, afirmando que ele corresponde a 10% de suas visitas, mesmo não postando. O Dihitt lhe traz 5% de visitas somente.

04/2010 – Adelson Smania, em diHITT: Divulgue seu Blog com Eficiência, sugere não utilizar o cadastramento automático dos artigos, pois os títulos e trechos iniciais ficam iguais aos do blog, o que pode impedir seu artigo de ser exibido no Google. Informa que, embora todos os artigos enviados sejam publicados, o que vai trazer visitas para seu blog é o fato de eles se tornarem populares. Ele dá 7 dicas para tornar seu artigo popular no diHITT. A sugestão é que se faça um teste para avaliar se vale a pena você despender tempo com o agregador. Orienta também que se utilize o site para relacionamentos, não conflitos. Nos comentários, sugeriram-se EuLinko, Galeria de Links. Equipararam o diHITT ao Orkut. Informam que costuma haver atritos, especialmente devidos à popularidade e disputa de ranking. Smania diz que as visitas mensais que chegam ao seu blog, vindas do diHITT é em torno de 60 pessoas. Apesar da baixa quantidade, diz que vale a pena insistir, já que se conseguem leitores fiéis advindos de lá.

04/2010 – Adelson Smania, em Uêba, Ocioso e Colmeia: Como ser Publicado?, mostra estatísticas de alguns artigos de dois de seus blogs que foram publicados nesses agregadores. Nas conclusões, é dito que não há garantias de que nossos artigos sejam publicados; o sucesso com agregadores depende da posição que seus artigos conseguem; blogs com nichos mais restritos tendem a ter menos visitas do que artigos de variedades; o que ocorre são picos de visitas em um dia ou outro. Ele dá seis dicas para aumentar suas chances de ser publicado nesses agregadores. Nos comentários, Uêba e Colmeia são considerados difíceis de emplacar artigos.Alexandre Lima, citado no post pelo artigo Ocioso: A Importância desse Agregador para os Blogueiros Iniciantes, aconselha o uso de apenas 4 agregadores, o uso de imagens de qualidade e descrição criativa para otimizar o artigo nos agregadores. No seguimento, a questão da alta taxa de rejeição e da péssima qualidade das visitas são novamente levantadas, além da predileção dos agregadores por assuntos banais. Frase que chamou a atenção: “Não é seu público-alvo que visita os agregadores”. Disse-se que o Ocioso adora post polêmicos e rende milhares de visitas, enquanto que o Uêba e Colmeia são muito rigorosos. Smania ressalta a possibilidade de fidelizar novos visitantes e conseguir altas taxas de cliques desses navegantes eventuais nos anúncios inseridos no blog, segundo leu em outros artigos. O LinkLog é citado como bom. CataBlog é mais um agregador apresentado. Saber qual artigo vão publicar é uma loteria.

04/2010 – Marcos Lemos, em Agregadores de Conteúdo Podem Gerar Conteúdo Duplicado e Punições no Google?, responde “não” à pergunta do título. Ele diz que, embora o uso de agregadores não interfira na indexação no Google, é importante variar os títulos cadastrados com as várias palavras-chaves pesquisadas para melhorar o posicionamento na indexação das buscas. Nos comentários, Adelson Smania, do Gerenciando Blog, chega à mesma conclusão e lembra que é melhor cadastrar em poucos agregadores (nos que funcionarem para você) .

08/2010 – Adriano Luz, em Agregadores de conteúdo são realmente uma boa opção para conseguir tráfego?, responde “sim” à pergunta do título e relembra duas questões já levantadas acima: 1) a dificuldade para que um artigo seja publicado nos agregadores e 2) a qualidade do tráfego advindo deles. A taxa de rejeição das visitas chega a 90%, isso é bem ruim. Adriano conseguiu bons resultados com o LinkLog. Não faz sentindo enviar posts para agregadores que sempre rejeitam seus artigos, mesmo que aqueles tenham a fama de trazer milhares de visitas. Nos comentários, a alta taxa de rejeição é apontada várias vezes. Os comentadores também reclamam que os visitantes não voltam. Há quem prefira menos visitas dos agregadores e em dias variados. Para alguns, os agregadores trazem muita gordura estatística. Dihitt é citado como bom.

08/2010 – João Rodrigues, em 38 Agregadores de Notícia em Português para Divulgar o seu Blog ou Site (agora já são 52), afirma que testar é o caminho. Nos comentários, o BombaNet ressurge. Sandra Baroni, do InfoMacross, além de citar o problema da taxa de rejeição, ainda levanta a interessante questão sobre se devemos esperar primeiramente nosso artigo indexar nos mecanismos de busca, antes de encaminhá-lo aos agregadores, já que o artigo pode acabar ficando abaixo do link do agregador nos resultados das buscas.

12/2010 – Paulo Faustino em “15 agregadores de conteúdo tipo Ocioso” (artigo excluído). É um tipo de divulgação de pico meteórico. Ocioso pode trazer dezenas de milhares de visitas. Colmeia tem qualidade de tráfego. O UEBA é exigente em aceitar, mas compensa.

12/2010 – Adelson Smania, em Top 2010: Melhores Agregadores de Notícias, relaciona os 7 melhores agregadores de 2010. Ocioso, Colmeia e Linklog puxam a fila. Nos comentários, Rodrigo Nogueira, do Universo Musical, aponta o LinkIrado, Linklog e Ocioso como agregadores de conteúdo apelativo e o DiHitt como tendo “panelinhas”; o Colméia, difícil de emplacar. O Ocioso traz realmente muitas visitas, mas 99% relâmpago, o que é ressaltado em outros comentários. Smania reafirma seu contentamento e aposta na visibilidade que os agregadores trazem, confiando na capacidade de fidelização do blog, mesmo que sejam apenas alguns leitores.

05/2011 – Almy Fróes, em Sites Agregadores de Links: Existe Mesmo Espaço para Todo Mundo?, profetiza o fim dos agregadores e elenca as vantagens e desvantagens deles. Assim, seu site recebe muitas visitas, mas elas ficam somente 20 segundos; você pode pensar em fazer renda com o CPM, mas como os visitantes são blogueiros, não clicarão nos seus anúncios; o seu artigo no agregador pode ficar mais bem posicionado do que o seu artigo no seu blog (isso é ruim?); picos de visitas podem tirar seu blog do ar. Como muitos blogueiros, ele aconselha a publicação em apenas alguns poucos agregadores, pois está se tornando febre criar agregadores. Nos comentários, uma frase me chamou a atenção: “agregadores são bons na hora de ganhar posição nas buscas do Google”. Alegam que o Ocioso é bom, mas está virando “putaria”. Alguém sugere que os agregadores privilegiam os grandes blogs, em detrimento dos pequenos. Essa sugestão fica bem evidente no engraçadíssimo artigo Panela nos Agregadores de Links e nos seus comentários.

 

Vídeos sobre agregadores de links e agregadores de conteúdo

Marcos Lemos – Lição do Vendedor de Salgados para Blogueiros

 

 


Blog Instantâneo Gustavo Freitas

13 Comentários









  1. os agregadores agregam muito,cala-te boca,mas vou falar em ganhar dinheiro na internet,cara imagemfplheados,você começa em janeiro,em dezembro eles enviam um saco de zeros,via papai noel fora de série!

    Responder

  2. Realmente já tive algumas experiências com agregadores e não obtive resultados interessantes. Trafego não adianta. O importante é tráfego qualificado.

    Saindo um pouco da idéia de divulgação grátis, mas ainda contextualizada com a idéia de trafego qualificado, o Google Adwords se difere principalmente dos concorrentes por que trás visitantes que realmente vão se interessar pelo conteúdo que você anuncia.

    Resumindo, desde que seu conteúdo seja passível de interesse de massa, não é interessante gastar seu tempo com isso para atrair tráfego.

    Mas, caso o agregador de link e conteúdo for DOFOLLOW, vale a pena SIM postar o conteúdo para criar backlinks para seu site, dessa maneira você otimiza o SEO do seu website.

    Abraços

    Caio Ferreira

    Responder

    1. Olá, Caio. Obrigado pelo comentário. Tráfego ruim é o grande mal de grande parte das técnicas de divulgação na Internet. Um caso extremo são os autosurfs, que geram “tráfego fantasma”. Pelo menos os agregadores colocam os olhos do internauta sobre nosso site. Mesmo que as visitas sejam desqualificadas, ainda há a possibilidade de ganhos pelos cliques nos anúncios do Adsense (controverso ainda) e, com sua dica do DOFOLLOW, um impulso no pagerank. Chato é que só dá para saber essas coisas medindo.

      Eu tinha o Adwords como grande trunfo, até começarem a perseguir os programas de afiliados. O problema do Google Adwords é óbvio: tem que pagar pra usar. Que ele traz tráfego qualificado, isso não se discute. Mas antes devemos ter certeza que as visitas do Adwords direcionadas ao conteúdo vão pagar o investimento, da mesma maneira que antigamente essas visitas eram direcionadas a programas de afiliados e geravam vendas para quitar o débito.

      Parabéns pelo site, Caio. A forma como você o fez está agregando muito valor. Recomendo: http://www.caioferreira.net/

      Responder



Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *