As 3 Primeiras Metas do Empreendedor Digital e a Supremacia do Conteúdo

Tempo de leitura: 7 minutos

Afiliados e produtores de infoprodutos necessitam aprender Marketing Digital. Existe, porém, uma sequência de aprendizagem racional. Atualmente o tópico “conteúdo” é o item pior disposto nos métodos vigentes. Esse equívoco ocorre porque o conteúdo, na verdade, não é um tópico, nem um ramo do Marketing Digital, mas a superfície sobre a qual todo o processo de marketing é executado. Dentro do âmbito digital, o termo “Marketing de Conteúdo” é pleonástico.

DELIMITAR PRIMEIRO O CONTEÚDO É SER RACIONAL

Em uma sequência racional de aprendizagem de Marketing Digital, a delimitação do conteúdo deve vir antes de tudo! Não convém iniciar qualquer etapa do Funil de Marketing (tráfego, conversão, email marketing, vendas ou métricas) antes de definir, ou rascunhar, o índice do conteúdo, o âmbito que você irá explorar. O índice do conteúdo é a bússola de todo o processo.  Sem isso você adentra cego o Funil de Marketing e deixa seus leitores cegos também pela ausência de uma proposta de trabalho.

O CONTEÚDO ANIMA TODO O PROCESSO DE MARKETING

O conteúdo é o que vai originar o tráfego. Do conteúdo virão ideias para criar iscas de captura. Conteúdo é o que você irá enviar por email marketing aos integrantes da lista. Conteúdo é o que empurra os leads funil abaixo, nutrindo-os e convertendo-os em compradores. O conteúdo é a matéria-prima e o cimento que levanta seu negócio online.

conteudo-funil

Na Era da Informação, conteúdo não é uma etapa no processo de Marketing, mas a espinha dorsal dele. A primeira grande conquista de um empreendedor digital, portanto, é definir a área e os limites desse conteúdo. Depois que isso ocorre, todo um universo de ideias, estudos e possibilidades se manifestam e inspiram sua criatividade.

DELIMITAR O CONTEÚDO PREVIAMENTE GERA COERÊNCIA

Delimitado o campo e os limites do conhecimento que você irá explorar, a coerência é o segundo ponto. O conteúdo deve ser o mesmo do topo (tráfego) até o fundo (vendas) do Funil de Marketing. O conteúdo que gera o tráfego é o mesmo que captura os leads e nutre-os com mensagens de emails. O termo “mesmo” não quer dizer “igual”, mas “harmônico”, compatível com um índice único. O mesmo conteúdo, quando estruturado, pode ser entregue em vários níveis de profundidade e em diferentes quantidades à medida que o lead desce pelo funil. Tal profundidade e quantidade é facilmente colhida na estrutura do índice do conteúdo.

AS TRÊS PRIMEIRAS METAS DO EMPREENDEDOR DIGITAL

Embora o levantamento do conteúdo seja a primeira grande conquista de um empreendedor digital, a prática ensina que uma pessoa desorganizada não consegue sair do lugar. Falo isso por experiência própria. Além disso, o âmbito que você irá explorar deve ser lucrativo. Por isso, suas três primeiras metas em fase depré-funil são estas, nessa ordem:

pre-funil

1) Organizar tempo, espaço e comportamento.

2) Escolher o nicho. É ingenuidade devotar-se a adquirir conhecimento para criar o índice, se isso não lhe vai gerar renda (a menos que esse seja seu propósito). Estou falando de algo bem primordial: a escolha de um nicho lucrativo, antes de investir seu tempo e dinheiro nele. Um nicho é um segmento do mercado composto por pessoas com necessidades similares com potencial para comprarem uma “infosolução” criada por você (ou vendida por você).

3) Finalmente, criar o índice de conteúdo. O índice vai vivificar todo o processo de marketing. Não dá pra pensar em objetivos e metas de Funil de Marketing sem isso.

1ª) UM MÍNIMO DE ORGANIZAÇÃO PELO MENOS

As pessoas são bagunçadas em vários campos de suas vidas. Elas são desorganizadas com seu espaço, com seu tempo, com seus pensamentos, com suas emoções, com seus comportamentos e com seus relacionamentos.

Sonhadores desorganizados dificilmente concretizam seus sonhos e acabam se tornando vítimas de seu próprio estilo de vida. Procrastinação e ausência de foco são os piores males. O tempo desperdiçado não volta e a idade se encarrega de jogar a pá de cal sobre os sonhos.

Três inimigos principais: Facebook, email e televisão. Junte agora o WhatsApp e similares.

Que tal começar a usar uma metodologia de produtividade como o GTD ou a Tríade do Tempo? Que tal ter uma agenda como Google Calendar ou um gerenciador de tarefas como o Wunderlist? Que tal ler livros inspiradores como Pai Rico Pai Pobre, Trabalhe 4 Horas por Semana ou Os Segredos da Mente Milionária? Que tal criar uma rotina em sua vida?

Que tal?

2ª) DETERMINE UM NICHO

Esqueça todo o Marketing Digital. Não se preocupe em gerar tráfego, nem criar listas ou fazer Email Marketing. Tudo isso será trabalho perdido se o nicho for vago ou sem garantia de lucratividade. Você quer ganhar dinheiro, acredito eu! nicho

A disciplina “Prospecção de Nichos” (Niche Finding) se tornou obrigatória. Ou você aprende, ou se torna um marketeiro iludido. Aprenda, antes de tudo, a prospectar nichos que dão dinheiro.

Conheça os métodos e ferramentas para determinar nichos rentáveis e valorosos. Use, por exemplo, o Übbersuggest, o Google Suggest, etc. Você não faz ideia da quantidade de nichos lucrativos disponíveis na Internet. O iJumper é o curso que melhor ensina sobre o tema atualmente.

3ª) CRIE O ÍNDICE DO CONTEÚDO

Agora que você descobriu um nicho em que vale a pena investir tempo, basta você levantar o conhecimento desse nicho. Comece inserindo no índice o conhecimento que você já possui. A posição dos tópicos, subtópicos e supertópicos você perceberá com a prática e com a escolha. Você decide o formato do seu índice.

Depois, pesquise os melhores blogs sobre o assunto. Os menus de bons blogs são os melhores lugares para você perceber como deve estruturar seu conhecimento. Leia os artigos. Você perceberá que é tudo repetitivo. Os blogueiros estão sempre reescrevendo ou analisando outras perspectivas de um mesmo assunto.

Sugestão de supertópicos para um empreendedor de Marketing Digital
Sugestão de supertópicos para um empreendedor de Marketing Digital

COMPRAR CURSOS É COMPRAR TEMPO

Compre bons cursos online. Essa é a maneira mais rápida de você dominar um campo de conhecimento e criar seu próprio índice, pois o produtor do curso já entrega tudo estruturado e exposto de forma profunda. Você compra tempo!

O ÍNDICE É UM SER VIVO

Meu índice está sempre na parede. São em torno de 18 folhas A4 que fico rabiscando, acrescentando e alterando linhas. À medida que estudo novos cursos ou leio novos artigos, acrescento e renomeio tópicos ou altero a profundidade deles. Mas sempre persiste um eixo que norteia tudo. Assim não me perco na proposta que pretendo passar para meu público e posso, a qualquer tempo, obter ideias para artigos, estruturas para ebooks e até cursos que eu queira criar.

CONCLUSÃO

A conquista dessas três metas criam um trampolim poderoso para seu negócio e constituem pré-requisitos obrigatórios na sua carreira na Web. A maior dificuldade será com nichos, pois dá trabalho prospectá-los. Se você persistir nessa etapa, logo adquirirá traquejo com nichos e descobrirá um mundo extremamente extenso de possibilidades de geração de renda na Internet.

O índice é um ser mutante sobre o qual você deverá estar sempre trabalhando. Apenas comece, nem que seja apenas o primeiro tópico ou uma sopa de temas e assuntos. Depois que estiver pronto, o índice funcionará como um oráculo que lhe guiará e uma garantia de proposta para seu leitor.

Até a próxima.


Blog Instantâneo Gustavo Freitas

1 comentário


  1. A procura do nicho é o assunto mais sensível, porque irá determinar o futuro do site. As vezes todo o resto é bem executado, mas sem nicho de mercado adequado nã dá dinheiro, e aí serve para quê?

    Responder

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *