Capturar, Nutrir e Converter: A Lista

Vimos que o Topo do Funil de Marketing cuida da geração de tráfego.

Principiantes do Marketing Digital costumam acreditar que seu trabalho acaba aí, o que é um grande equívoco. Agora que os visitantes chegaram, devemos:

  1. capturá-los,
  2. nutri-los,
  3. convertê-los em prospectos e
  4. convertê-los em compradores.

CAPTURAR, NUTRIR E CONVERTER

Capturar um visitante significa convencê-lo a deixar seus dados (ao menos o e-mail).

Nutrir o contato significa enviar conteúdo para ele através do seu e-mail.

Convertê-lo significa ter sua lealdade ou levá-lo a comprar alguma coisa.

O Meio do Funil de Marketing preocupa-se em transmutar os visitantes em leads (contatos), e depois os leads em prospectos. Então, nós nutrimos (nurture) os leads e os prospectos a fim de torná-los compradores.

POR QUE UM FUNIL?

A boca do funil é larga, representando grandes quantidades de visitantes que chegam.

O meio do funil é mais estreito, representando a parcela desse tráfego que deixa seus dados e que se fideliza.

O fundo do funil é mais estreito ainda, representando a parcela desses contatos que realmente realizam uma compra.

Como se vê, as partes do Funil de Marketing estão interligadas e dependem umas das outras, sendo que não podemos negligenciar nenhuma delas, sob o risco de desperdiçarmos tempo e realizarmos trabalho vão.

AS FERRAMENTAS DO MEIO DO FUNIL DE MARKETING

Nossas ferramentas nesse Meio do Funil de Marketing são:

  • os gatilhos (Calls-to-Action), com seu poder magnético;
  • as páginas de captura (landing pages), com seus formulários;
  • o Email Marketing, com seu autorresponder (a sequência automática de emails).

Nosso principal objetivo no Meio do Funil de Marketing é a construção de uma lista de contatos e o exercício de um bom relacionamento com essa lista.

A LISTA: O FRUTO DA CONVERSÃO

É no Meio do Funil de Marketing que edificamos a notória Lista, o banco de dados com informações coletadas ao longo desta seção mediana do Funil de Marketing.

 Gerar tráfego é importantíssimo, mas nosso maior tesouro não é o tráfego que geramos, mas sim a Lista que construímos.

O DINHEIRO NÃO ESTÁ NA LISTA…

O tamanho da Lista é seguramente uma demonstração de domínio e de liderança.

A geração de riqueza, contudo, não está ligada às dimensões da Lista, mas sim ao relacionamento que temos com ela.

…MAS NO RELACIONAMENTO COM ELA

Tal relacionamento com a Lista refere-se exatamente a essa nutrição que realizamos nos contatos através do Email Marketing e que é, também, o ato de darmos a esses contatos (leads) e prospectos orientação personalizada, informação relevante, suporte e respostas às suas dúvidas. 

Gerar tráfego é fundamental. Construir a Lista é essencial. Saber relacionar-se com a Lista é vital. O objetivo final de tudo isso é óbvio, converter tráfego em clientes-compradores.

Saiba mais sobre a lista.

CONCLUSÃO

O trabalho do Meio do Funil de Marketing é capturar, nutrir e converter visitantes em leads e, após, em clientes. Os calls-to-action, as páginas de captura e o autorresponder são nossas ferramentas nessa parte do funil.

A lista de emails é o fruto do meio do funil. É ela que, através do relacionamento, que gera a riqueza de seu negócio.

E VOCÊ?

Você já teve experiências com listas? O que pode nos dizer sobre isso? Deixe sua opinião e dúvidas nos comentários abaixo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.